Home » Casamento » Filhos

Pai ausente na infância

A ausência do pai na infância pode trazer várias consequências psicológicas para a criança, que pode se refletir na idade adulta.

Ausência dos pais 3A presença dos pais proporciona a criança, uma infância e uma adolescência natural e equilibrada, tendo como referência a figura paterna e materna. A ausência do pai ou da mãe tende a criar o desequilíbrio, que pode gerar vários problemas na formação da personalidade da criança.

A ausência paterna é mais comum que a ausência materna, pois na maioria dos casos, é a mãe que desempenha a função de ser pai e mãe ao mesmo tempo. Atualmente a ausência do pai não ocorre somente por condições de morte ou separação. Algumas famílias, existem pais que embora casado e morado na mesma residência, se encontram ausentes.

Há também os casos em que o pai simplesmente não assume a paternidade e recusa qualquer laço de afetividade com o filho ou filha. Enfim são várias as formas de ausência paterna e todas são prejudiciais ao pleno desenvolvimento psíquico da criança.

A ausência paterna pode gerar sérios conflitos emocionais, que acabam resultando em traumas e outras psicopatologias. Entenda as principais consequências da ausência paterna e saiba como lidar com a criança que tem o pai ausente.

Consequências do pai ausente na infância

A ausência paterna gera um sentimento de frustração na criança, e esse sentimento tende a se fortalecer principalmente no período escolar. Pois na medida em que a criança cresce e passa conviver com outras crianças, começam as comparações e também as indagações. A criança ou o adolescente pode vir a se sentir rejeitado, devido à ausência do pai, e isso certamente irá afetar sua autoestima.

A criança que não tem a referência paterna pode enfrentar dificuldades na própria distinção de gêneros. A falta de parâmetros faz com que a criança não saiba se é masculino ou feminino. E essa dificuldade ocorre mais com os meninos, que podem vir a adotar preferências femininas, ou mesmo trejeitos femininos.

São comuns os casos em que a criança sinta-se rejeitada e desenvolva vários problemas psicológicos tais como depressão, timidez, dificuldade de aprendizagem, falta de motivação, rebeldia e intransigência. Para que o desenvolvimento da criança não seja prejudicado devido à falta do pai são necessários alguns cuidados por parte da mãe e dos familiares.

Pai não liga para a filha

Como lidar com o pai ausente na infância

A mãe deve estar preparada não para ser pai e mãe e sim para ser uma boa mãe no amplo sentido da palavra, ou seja, a mulher não necessita encarnar o personagem do pai, mas fazer com que o filho ou filha entenda a situação e aprenda a conviver com isso de forma natural. Caso a ausência seja definitiva como, por exemplo, nos casos em que o pai faleceu ou não assumiu a paternidade, é preciso muito diálogo, utilizando sempre a linguagem que a criança entenda. Fazer com que a criança sinta se segura e protegida, buscando eliminar qualquer traço de rejeição.

Levar até a criança a figura masculina seja do avô, tio ou mesmo um amigo. Quando a ausência do pai ocorre devido ao trabalho ou a outro fator que impossibilite ao genitor estar sempre presente, prevalece ainda a mesma regra, a conversa franca e amiga que faça com que a criança entenda a situação e não imagine que esta sendo abandonada. Hoje graças aos avanços dos meios de comunicação é possível que o pai mantenha contato permanente com a família, o que ameniza a ausência física. É importante que a criança saiba que seu pai embora esteja ausente, o ama muito e também sente saudades.

Mãe conversando com a filha

Seja qual for à situação é preciso fazer com que a criança não crie fantasias ou venha a imaginar que seu pai não esta presente por que não o queria.

Tags: , ,
Publicado por João
Revisado em 21/11/2013

Compartilhar