Verdades sobre a pílula do dia seguinte

Embora muito utilizada, a pílula do dia seguinte ainda gera várias dúvidas. Vejamos algumas verdades que cercam o uso desse medicamento.

PílulaA pílula do dia seguinte foi aprovada há mais de dez anos na Europa, com o objetivo de impedir uma gravidez em casos de urgência. Aqui no Brasil, a pílula é vendida sem receita médica é comercializada desde 1999, e talvez por isso seja usada tão erroneamente e de forma indiscriminada por muitas mulheres e adolescentes que desconhecem os verdadeiros efeitos que a pílula do dia seguinte causa no organismo.

Embora muito utilizada, a pílula do dia seguinte ainda gera muitas dúvidas a respeito de sua eficácia, os efeitos colaterais e a forma correta de administração para impedir a gravidez. Vejamos então as verdades que cercam o uso da pílula do dia seguinte.

                       

Pílula do dia seguinte verdades

A pílula do dia seguinte é conhecida como um eficiente método contraceptivo de emergência.

A Pílula do dia seguinte tem efeitos colaterais

Essa é uma grande verdade. Embora os efeitos colaterais possam variar de mulher para mulher, o medicamento causa dor de cabeça, enjoo, vômitos, sangramentos e dores nas mamas, além de comprometer a menstruação, que pode atrasar por meses caso a mulher faça uso constante. Normalmente os efeitos colaterais se iniciam em 24 horas após a ingestão da pílula, e o mal estar pode durar por dias e até semanas.

Mulher com mão na cabeça

Quanto mais tarde tomar a pílula, maiores as chances de engravidar

Outra verdade, pois a pílula só terá efeito se ingerida dentro do prazo, ou seja, até 72 horas após a relação, caso contrário não surtirá efeito algum. Quando ingerida logo após a relação ou em até 24 horas, sua eficácia chega a 95%, mas conforme o tempo passa aumentam-se as chances de a mulher engravidar. Por isso, em casos de emergência, é importante tomar a pílula o quanto antes.

Tomar a pílula do dia seguinte com frequência corta o efeito

Verdade, uma pílula pode anular o efeito da outra e ainda gerar uma sobrecarga de hormônios. É importante esclarecer que em hipótese alguma a pílula do dia seguinte deve ser usada como um contraceptivo comum. Deve-sem evitá-la ao máximo, buscando outros métodos contraceptivos para evitar a gravidez.

Pílula do dia seguinte pode falhar

Verdade. Embora a pílula apresente uma eficácia que varia de 95% a 98%, pode falhar quando não ingerida dentro do prazo de 72 horas, ou seja, 03 dias após a relação desprotegida. Agora, caso o óvulo já tenha sido implantado, o processo de gravidez já terá sido iniciado e nesses casos a pílula não terá efeito algum.

Pílula do dia seguinte

Pílula do dia seguinte causa sangramento

O sangramento pode ser considerado como um dos efeitos colaterais do medicamento, por isso é uma grande verdade afirmar que a pílula do dia seguinte pode causar sangramento. Mas não é uma regra, como os efeitos colaterais variam de mulher para mulher, algumas podem ter sangramentos e outras podem deixar de menstruar por meses.

Pílula do dia seguinte como funciona

A pílula do dia seguinte é considerada uma bomba hormonal, pois contém doses altas de estrogênio. Cada pílula do dia seguinte corresponde a 10 comprimidos de anticoncepcional comum, por isso causa tantos efeitos colaterais.

O medicamento age no organismo de duas maneiras, tudo vai depender do período menstrual pelo qual esteja passando. Caso a mulher não tenha ovulado, a pílula do dia seguinte impedirá a liberação do óvulo, dessa forma evita-se a fecundação. Para os casos em que a mulher já tenha, ovulado a pílula irá agir no muco cervical, alterando a secreção e tornando o ambiente hostil para os espermatozoides que não conseguem chegar às trompas, impedindo dessa outra forma a fecundação.

Ilustração de como funciona a pílula do dia seguinte

Mas vale ressaltar que nos casos em que já houve a fixação do óvulo no útero, uma gravidez já terá sido iniciada e a pílula do dia seguinte não interrompe gravidez.

A verdade é que o uso da pílula do dia seguinte deve ser evitado ao máximo, pois pode trazer graves consequências para saúde da mulher. Devemos ter sempre em mente que a pílula do dia seguinte só deve ser usada em casos de emergência e nunca como um anticoncepcional comum. Para evitar a gravidez, recomenda-se o uso de outros métodos contraceptivos e ainda o preservativo, que ainda protege contra as DSTs.

Saiba mais sobre a pílula do dia seguinte

10 votos



Josi
22/03/10


Mais informações por email.