Refluxo gastroesofágico sintomas tratamento


Refluxo gastroesofágico sintomas tratamento

O refluxo gastroesofágico é muito comum em bebês, porém torna-se cada vez mais frequentes em pessoas adultas, caracteriza-se pelo retorno anormal do conteúdo estomacal, normalmente ácido para o esôfago, esse retorno é o chamado refluxo, geralmente a sensação é de queimação, algumas vezes acompanhadas de dor no peito.
Seus principais sintomas são azia, que pode piorar quando nos deitamos com o estômago cheio, ardência ou queimação às vezes tão intensa que pode acompanhar dor no peito, aumento de salivação, em alguns casos regurgitação do conteúdo estomacal com azedume ou amargor, tosse pigarro e alterações da voz, pode ocorre também o engasgo que é uma tosse súbita e forte, que atrapalha a respiração, ocorrências como chiado no peito como asma, podem ser decorrente do refluxo.
Algumas pessoas relatam sensação de “bola na garganta” e também dificuldades ao engolir, estes podem ser sinais claros de complicações do refluxo e levam o nome de dismotricidade esofágica.
Segundo profissionais, o refluxo está associado a três maus hábitos da vida moderna: alimentação inadequada, obesidade e falta da prática de atividades físicas.
Em bebês o refluxo pode causar vômitos, geralmente após mamarem, ficam chorosos e muitas vezes podem rejeitar a alimentação, durante o sono pode ser observadas paradas respiratórias e chiados no peito. Crianças maiores relatam gosto amargo na boca, queimação, tosse, dor ao engolir e ânsia de vômito. Em bebês o refluxo é considerado normal quando esporádico até os seis meses, porém caso note que o bebê não ganha peso e o refluxo se manifesta sempre após cada mamada é indicado consultar um pediatra para possível diagnóstico, exames como de raio X, endoscopia ou pH-metria, que se trata de uma sonda introduzida no esôfago que durante vinte e quatro horas medirá a quantidade de ácido vindo do estômago, podem ser solicitados.
Quando diagnosticado o problema em crianças, o tratamento ocorre com uso de medicamentos de modo a neutralizar a acidez proveniente do estômago, porém em alguns casos mais sérios o procedimento cirúrgico é a única opção, a fim de corrigir a pressão do esfíncter. Para evitar o refluxo em bebês é aconselhável que o mantenha em pé durante a amamentação, permanecendo na mesma posição por meia hora ou até que ele arrote. É indicado também elevar um pouco a cabeceira do berço.
É de extrema importância observar e tratar o refluxo gastroesofágico, pois o problema pode desenvolver um estreitamento do esôfago, resultando em problemas mais graves futuramente como o câncer, por exemplo.
Já em adultos o refluxo pode ser identificado por todos ou alguns dos sintomas acima citados, geralmente aparecem após a ingestão de bebidas alcoólicas ou após o consumo de alimentos gordurosos e pesados, caso os sintomas perdurem por mais de uma semana é conveniente buscar orientação médica, muitas vezes o diagnóstico pode ocorrer somente pelo relato do paciente e quando necessário pode ser solicitado exames de endoscopia, pH-metria ou radiografia.
O tratamento ocorre principalmente pela mudança de hábitos alimentares, também com medicamentos e em alguns casos cirurgia.
Para acabar com o mal estar e evitar outros problemas adote algumas medidas simples em seu dia a dia como, não ingerir líquidos durante as refeições, evitar bebidas como cerveja e refrigerantes, não comer demais, principalmente no jantar, mastigar bem os alimentos, deitar-se após duas horas da refeição feita, elevando um pouco o tronco, uma dica é usar dois travesseiros, reduzir consideravelmente o consumo de alimentos gordurosos, frutas cítricas, vinhos e molhos de tomate industrializados, muito cuidado com a ingestão de bebidas alcoólicas que relaxam o esfíncter, aumentando a acidez do estômago e combata a obesidade, que além de trazer inúmeros males a saúde ainda favorece o refluxo.

         
0 voto





Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook

X
Curta a página