Pai ausente na infância

A ausência do pai na infância pode trazer várias consequências psicológicas para a criança, que pode se refletir na idade adulta.

Ausência dos pais 3A presença dos pais proporciona a criança, uma infância e uma adolescência natural e equilibrada, tendo como referência a figura paterna e materna. A ausência do pai ou da mãe tende a criar o desequilíbrio, que pode gerar vários problemas na formação da personalidade da criança.

A ausência paterna é mais comum que a ausência materna, pois na maioria dos casos, é a mãe que desempenha a função de ser pai e mãe ao mesmo tempo. Atualmente a ausência do pai não ocorre somente por condições de morte ou separação. Algumas famílias, existem pais que embora casado e morado na mesma residência, se encontram ausentes.

Há também os casos em que o pai simplesmente não assume a paternidade e recusa qualquer laço de afetividade com o filho ou filha. Enfim são várias as formas de ausência paterna e todas são prejudiciais ao pleno desenvolvimento psíquico da criança.

Mais sobre pai ausente na infância

A ausência paterna pode gerar sérios conflitos emocionais, que acabam resultando em traumas e outras psicopatologias. Entenda as principais consequências da ausência paterna e saiba como lidar com a criança que tem o pai ausente.

Consequências do pai ausente na infância

A ausência paterna gera um sentimento de frustração na criança, e esse sentimento tende a se fortalecer principalmente no período escolar. Pois na medida em que a criança cresce e passa conviver com outras crianças, começam as comparações e também as indagações. A criança ou o adolescente pode vir a se sentir rejeitado, devido à ausência do pai, e isso certamente irá afetar sua autoestima.

A criança que não tem a referência paterna pode enfrentar dificuldades na própria distinção de gêneros. A falta de parâmetros faz com que a criança não saiba se é masculino ou feminino. E essa dificuldade ocorre mais com os meninos, que podem vir a adotar preferências femininas, ou mesmo trejeitos femininos.

São comuns os casos em que a criança sinta-se rejeitada e desenvolva vários problemas psicológicos tais como depressão, timidez, dificuldade de aprendizagem, falta de motivação, rebeldia e intransigência. Para que o desenvolvimento da criança não seja prejudicado devido à falta do pai são necessários alguns cuidados por parte da mãe e dos familiares.

Pai não liga para a filha

Como lidar com o pai ausente na infância

A mãe deve estar preparada não para ser pai e mãe e sim para ser uma boa mãe no amplo sentido da palavra, ou seja, a mulher não necessita encarnar o personagem do pai, mas fazer com que o filho ou filha entenda a situação e aprenda a conviver com isso de forma natural. Caso a ausência seja definitiva como, por exemplo, nos casos em que o pai faleceu ou não assumiu a paternidade, é preciso muito diálogo, utilizando sempre a linguagem que a criança entenda. Fazer com que a criança sinta se segura e protegida, buscando eliminar qualquer traço de rejeição.

Levar até a criança a figura masculina seja do avô, tio ou mesmo um amigo. Quando a ausência do pai ocorre devido ao trabalho ou a outro fator que impossibilite ao genitor estar sempre presente, prevalece ainda a mesma regra, a conversa franca e amiga que faça com que a criança entenda a situação e não imagine que esta sendo abandonada. Hoje graças aos avanços dos meios de comunicação é possível que o pai mantenha contato permanente com a família, o que ameniza a ausência física. É importante que a criança saiba que seu pai embora esteja ausente, o ama muito e também sente saudades.

Mãe conversando com a filha

Seja qual for à situação é preciso fazer com que a criança não crie fantasias ou venha a imaginar que seu pai não esta presente por que não o queria.

Saiba mais sobre a ausência na infância

21/11/13 por Joao Romao

   

Mais informações por email

Comentários

  1. Boa tarde,minha filha teve sempre o pai por perto afinal eramos casados,aos 7 anos de idade dela,nos separamos,e ela hoje esta com 10 anos,ja se caso e tem um bebe de 6 meses,desde o nos separamos,ele ve ela muito pouco as vzs fica meses sem ver nao liga,ele paga a pensao somente,mas nao participa de nada,ela e bem retraida vejo ela triste,se faz de forte mas ela e muito magoada com o pai,esse assunto pra ela e mto doloroso,faco de td pra ve ela feliz,sou super participativa somos bem amigas,mas ela ja foi ate no pscologo e tem baixa alto estima,vive sem confiar em ngm,e infelizmente ela desiste de td mto rapido,tipo ela e mto negativa td pra ela nao da certo,fko mal por isso sempre choro,ja conversei com o pai dela,mas pra ele e pra familia dele ele ja paga pensao e ta td bem td certo,pra eles eu to fazendo intrigas,mas ngm ve que minha filha sofre...

    jessica

    31/01/17

  2. O pai d minha filha nunca quiz sabe dela simplimente engnora. tenho muito medo q ela mim combri isso no futuro.

    rita

    03/09/16

  3. Olá michele. conversar é sempre bom, porém se o caso está grave o melhor é procurar um profissional para te aconselhar e ajudar você e sua filha. o psicólogo irá resolver da melhor maneira. espero ter ajudado na resposta do comentário.

    veronica ortiz

    21/05/16

  4. Minha filha tem 12 anos; o pai dela morreu quando eu estava grávida agora depois de grande tem tido comportamento agressivo é e depressiva de mais não sei como lidar com essa situação eu sempre conversei com ela sobre tudo abertamente nunca enganei a respeito da morte do pai oque faço será q um psicólogo resolve??

    michele

    21/05/16

  5. Ok, mas e se o pai não demonstra interesse pela criança (de 04 anos no caso) e somente o usa para ter contato com a mãe na esperança de reatar o relacionamento? a pessoa manda mensagem uma vez por mês perguntando como está mas não pede para falar com o menino. e em nenhum momento foi repreendido no sentido de ter contato com a criança.

    luiz testa

    19/04/16

Comentar

Siga-nos nas redes sociais

Instagram
YouTube
Facebook