Andropausa sintomas e tratamento


Andropausa sintomas e tratamento

Diferentemente da maioria de nossos posts em que há predominância de assuntos, informações e orientações voltadas as nossa leitoras, hoje trataremos de um assunto masculino, mas que por consequência atinge a muitos relacionamentos, por isso indiretamente está relacionado às mulheres, trata-se da andropausa um distúrbio que acomete muitos homens e que até bem pouco tempo era confundido com uma crise normal da meia idade.
A andropausa caracteriza-se por um distúrbio fisiológico, principalmente observado pela diminuição gradual da testosterona, o hormônio masculino. Cada vez mais vem sendo comparada a uma versão masculina da temida menopausa, embora os sintomas da andropausa sejam bem mais sutis que da menopausa, pois diferentemente das mulheres somente 20% dos homens com idade entre sessenta e setenta anos, considerado período de pico da andropausa, apresentam alguns sintomas, sendo que o restante dos homens além de não sentirem nenhum sintoma ainda continuam a produzir espermatozóides por toda sua vida, enquanto que nas mulheres além de anunciar o fim do ciclo reprodutivo, os desconfortos são inevitáveis, afetando a todas desde o início da menopausa.
Segundo estudos da Sociedade Brasileira de Urologia, todos os homens gradualmente perdem cerca de 1% da sua produção de testosterona a partir dos quarenta nãos de idade, sendo que os sintomas mais comuns da andropausa são a disfunção erétil e diminuição do desejo sexual, também apresentam falta de concentração, desânimo, irritabilidade, insônia, perda de memória, mau humor constante e em alguns casos, depressão. Os médicos ainda ressaltam que além desses sintomas mais comuns, alguns homens podem apresentar diminuição de atividades intelectuais e massa muscular, também queda de cabelo e acúmulo de gordura visceral, é preciso atenção, pois pode ocorrer enfraquecimento dos ossos deixando-os mais suscetíveis a quedas e fraturas, resultando em osteoporose e tudo isso ocorre porque a testosterona além de ser considerado o hormônio da libido, age também como um “anabolizante natural” dos homens.
Cientificamente esse termo “androapausa” não existe por isso o problema poderá ser diagnosticado como Distúrbio Androgênico de Envelhecimento Masculino ou Síndrome de Deficiência da Testosterona, embora seja uma queda da produção de hormônios masculinos, os sintomas se instalam lenta e progressivamente e na maioria das vezes o que motiva os homens a buscarem orientação médica são dificuldades de ereção ou ejaculação precoce. O diagnóstico para a andropausa ocorre depois de um exame detalhado par afastar outras possíveis causas e também através de exames de dosagem de testosterona, luteinizante, prolactina e folículo estimulante, costuma-se solicitar também exames de dosagem tiroidianos, uma vez que seus sintomas são muito semelhantes à androapausa.
Uma vez diagnosticado o problema o tratamento de reposição hormonal ocorre da seguinte forma: com aplicações de curta duração com testosterona, porém esse tratamento pode apresentar reações adversas como poliglobulia que torna o sangue espesso e apnéia do sono, considerados efeitos colaterais. Já o tratamento injetável de longa duração, embora mais caro, previne os efeitos colaterais.
Outra opção de tratamento pode ser através de comprimidos de testosterona, porém além de extremamente caro, envolve a ingestão de muitas cápsulas por dia, devido a essa intensa administração do hormônio, muitas vezes esse tratamento torna-se menos indicado.
Caso seu namorado ou marido com quarenta anos ou mais esteja mais irritado que de costume, perdendo a paciência frequentemente e sem disposição para o sexo, atenção, pois ele pode estar a caminho da andropausa. Embora não haja pré-disposição ao problema, por isso não há tratamentos preventivos é importante manter-se atento e a qualquer sinal de desconforto procurar ajuda médica, pois através do tratamento é possível o homem voltar à normalidade garantindo sempre uma melhor qualidade de vida.

         
0 voto






Vídeos Relacionados

Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook

X
Curta a página